domingo, 26 de dezembro de 2010

.

"A gente cresce

Os sonhos mudam, os pensamentos evoluem, os planos começam a se tornar parte da vida, os problemas ganham uma dose de responsabilidade, as roupas ganham mais pano, o dia passa mais rápido, mas é quando você nota que apesar de tudo mudar de forma e de foco, as amizades nunca deixam de seguir a mesma rota." (yn)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Feliz Natal *-*

to sem criatividade... Como sempre

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Sobre os amigos virtuais…

Tudo aconteceu naturalmente. Com as conversas constantes, amizades foram formadas, laços afetivos foram dados. O tempo nos tornou cada vez mais próximos, apesar da distancia insistir em manter nossos corpos separados. Houve interferências. Mas as sementes plantadas por aquelas primeiras conversas já haviam se tornado uma árvore grande e forte o bastante para ser mantida, por aqueles que estavam dispostos a isso. Cada um dos dias em que os laços eram mantidos, nos mostrava que algo que muitos abominam poderia trazer pessoas maravilhosas à nossas vidas. Trazer sorrisos. Trazer amigos. Amigos como aqueles que temos o prazer de abraçar todos os dias. Como aqueles que nos fazem rir e chorar, que se preocupam conosco, que procuram nos entender, nos apoiar. Como aqueles com os quais brigamos também, mas que sempre sentimos falta e tentamos trazer de volta. Amigos que amamos. Nossa maior barreira sempre foi a distância, mas ela nunca apagou nossos sorrisos com as conversas bobas, nunca impediu nossa imaginação sem limites e nunca desanimou nossos planos futuros. Mas, talvez (provavelmente, sendo sincera), nossos próprios caminhos ameaçam desanimar tais planos. Cada um, resguardado em seu canto do país, com seus sonhos e objetivos, tem um caminho a trilhar, os quais, em sua grande maioria, prometem trazer mais distância á cada relacionamento. Este, por sua vez, não aumentará a distância física, mas entre nossos sentimentos. O que dedicamos tanto tempo hoje, não poderá fazer parte das prioridades de amanhã. Inevitável. Tudo se mostra cada vez mais limitado. Porém, perder, futuramente, sua importância, não vai, necessariamente, apagar o que tudo isso significa. O que essas pessoas significam para cada um de nós. Para isso, precisamos fazer com que esses momentos valham à pena, para que eles permaneçam marcados, tornando-se inesquecíveis. Aproveitar nosso tempo limitado, que diminui a cada minuto. Aproveitar para sentir, e mostrar esses sentimentos. Aproveitar de modo que esses amigos façam parte de uma das melhores épocas de nossas vidas. Por fim, quando os laços se desatarem, vamos nos orgulhar de tê-los mantido pelo máximo de tempo possível e por ter dado valor a aqueles que mereciam. P.S. Obrigada por fazerem parte da minha vida, amo vocês.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pra falar a verdade...

Ultimamente tenho deixado certos sentimentos guardados... Deixado de desabafar muitas coisas... Deixado o tempo levar embora algumas amizades... Consequências de uma mudança.
Eu estou mudando.
Já faz um tempo que parei de fazer questão de dividir acontecimentos pessoais, de lutar por pessoas que não querem isso... ...já faz um tempo que não sou sincera; Comigo mesma e com quem não se preocupa com minha sinceridade. A maior parte das pessoas já percebeu isso. Mas dessas só algumas realmente sentiram a diferença.
 Quanto a nós, foi só isso que mudou.
Algumas atitudes, algumas escolhas. Eu só deixei de falar o que não era importante pra nossa amizade e passei a fingir levar na esportiva certas brincadeiras :P [buscando, com sucesso, acabar com diversas brigas. E aposto que você concorda comigo =D] Além de, ultimamente também não ter conseguido me expressar muito bem com você... :S
Mas eu queria deixar uma coisa clara:

  O que eu sinto não mudou. O que há entre nós ainda é o mesmo.

Pelo menos é assim que eu vejo :S Posso até parecer um pouco mais fria... Mas eu continuo a mesma Raquel de sempre! : A lerda que não entende o que os outros falam de primeira, rindo com coisas simples [Eu: "Hum" Ele: "Dois"], chorando por qualquer coisa [Ela: "Se você me conhece, sabe que não vou parar" *Raquel quase chorando*], escrevendo errado sempre! :x . Só que um pouco mais madura. Mas eu estou bem, ok? Realmente bem! Desculpa se isso afeta nossa amizade, mas eu estou melhor assim. x: Eu realmente gostaria que compreendessem isso. É importante pra mim.
Post feito por: Millyh
Editado por: Gêmea lerda, Lany

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

.

Eu te prometo Não me esquecerei Dos momentos que compartilhamos Das lágrimas que nós choramos Você sempre será o sol em meu céu Esse pode ser o fato que nos trará de novo Para nos encontrarmos novamente algum dia Mesmo que nós tenhamos ido por caminhos diferentes

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Bem, lógico que eu causei isso. Mesmo assim queria explicar algumas coisas... - Não foi bem aquilo que eu falei - Não, eu não to tentando separar ninguém. Que ridículo. - Eu sei que te machuquei, não precisa ficar lembrando. - Yeah eu to muito magoada com tudo isso também. - A maioria das pessoas inclusive a que eu mais amo está pensando que eu sou uma puta, mas eu não sou. - Isso foi tudo um mal entendido! - Isso não era sobre você e ele, isso era sobre Ela :) - Eu quero que tudo isso se exploda. - Se não for pedir muito, me deixe em paz. - Elder, para de se culpar ok?
"Às vezes somos traídos pelas pessoas mais próximas, e nosso lar deixa de ser um lugar onde somos felizes. É duro, mas acontece."
A história não foi contada direito, não foi bem aquilo que aconteceu... Mas não explicar pra ninguém o que houve. Só vim dizer duas coisas: 1ª Desculpa pequenina. 2ª Posso ter agido errado, mas o que você falou não vai sair da minha cabeça. Sua raiva pode ser do tamanho do mundo, mas o tanto que você me magoou é bem maior que isso agora.

domingo, 12 de dezembro de 2010

_ Dizem que os vamps homens são bons na proteção de suas Sacerdotisas. É verdade? _ É verdade. - Erik disse. _ Ótimo. Então tomara que você garanta a segurança de Zoey. _ Enquanto eu estiver vivo nada vai acontecer com ela. - Erik afirmou. _ Faça de tudo para que não aconteça mesmo - a voz de Heath havia perdido o tom charmoso e tranquilo que usava normalmente, e agora soava dura e ameaçadora. - Porque, se você deixar alguma coisa acontecer com ela, vou te achar e, vampiro ou não, vou te arrebentar.
***
Alguém me da um deles de Natal? *-* POR FAVOR VAI!

.

domingo, 5 de dezembro de 2010

.

Eu já fiz de tudo, cara. Ler livros, assistir filmes, comer chocolate, dormir, sair sem destino. Mas não adianta, não adianta, quando a gente sente falta de alguém, não tem nada que você faça pra desviar seus pensamentos disso. Saudade parece ferida que a cada dez minutos lateja pra te lembrar que ainda ta doendo.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Estou bem

Todos sempre perguntam se estou bem e, imediatamente, respondo que sim. Mas eu respondo que sim, sabendo que a verdadeira resposta não é essa. Talvez eu diga que estou bem, apenas para não ter que dar explicações. Ou talvez, porque bem no fundo, o que eu mais queria é que tudo realmente estivesse bem. A minha ultima esperança é que o sol apareça, mas o dia amanheceu totalmente nublado, prometendo assim permanecer por tempo indefinido. Quando levantei, fui direto até a janela e a tristeza estava lá me esperando. Logo senti um aperto no coração e pensei que seria mais um daqueles dias em que os minutos se transformam em horas e as horas duram mais que uma eternidade. Se a vontade fosse suficiente, eu já teria saído correndo pro mais longe possível de tudo e de todos, mas eu não posso e nem devo. A única saída, então, é fingir que está tudo bem e torcer pra que não fique pior. As horas vão passando e eu tento me distrair pra não ficar pensando demais em coisas que me fazem sofrer, mas não há nada capaz de segurar minha atenção por inteiro. Então, eu tento sorrir e fico pensando as coisas mais loucas e engraçadas pra tentar impedir que as lágrimas caiam, mas as vezes, eu não consigo evitar. Tentei ignorar qualquer coisa que pudesse ter alguma ligação com você, mas não foi possível. A verdade, é que são tantas as coisas que me deixam mal, mas você é o principal motivo. Você e a falta enorme que você me faz. Queria que as coisas pudesse voltar a ser como antes, mas já descobri que é impossível. Talvez por isso que eu espero pelo sol todos os dias, porque ele me passa segurança e me faz por um momento pensar que mesmo as coisas impossíveis podem acontecer. Pena que ele não apareceu até agora. Já quase no final da tarde, quando eu já havia perdido todas as esperanças que eu nem sequer tinha, abri a janela e fiquei olhando pro céu. Desabei em lágrimas. Me sentia aliviada por estar colocando aquilo tudo o que me sufocava pra fora, mas por outro lado, me sentia uma fraca, uma tola. Decidi fechar a janela e tentar dormir, afinal, nada poderia me fazer melhorar. Mas pra minha surpresa, a coisa mais estranha aconteceu naquele momento... Ouvi os passarinhos cantando e, o céu que estava todo nublado, de repente ficou lindamente azul e sol começou a brilhar bem forte. Eu não sabia se sorria ou se chorava, mas agora era choro de felicidade. Esperei tanto pelo sol, esperei tanto por apenas um sinal, uma esperança pra continuar firme e forte e, quando me encontrava mais perdida e já estava quase pra desistir de tudo, eis que surge a resposta que eu precisava... Eu sei que tudo o que escrevi pode ser uma completa confusão, mas não existe confusão maior que a de não estar bem e, mesmo assim, ter que transformar as lágrimas em sorrisos. É difícil e não é qualquer pessoa que consegue. Mas se a gente quiser, as coisas podem melhorar. É só não deixar de esperar pelo sol, porque o sol vai voltar a brilhar na sua janela e arrancar belos sorrisos de você (seja lá o que isso quer dizer, é a verdade), trazendo a esperança de volta e te mostrando que não há motivos pra chorar. Mesmo que eu sinta sua falta, não posso fazer nada pra que as coisas mudem, apenas aceitar e tentar pensar que é melhor assim (ou não). Sei que vão continuar perguntando se estou bem, da mesma forma que eu vou continuar respondendo que sim. Espero que um dia isso seja verdade..

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010