terça-feira, 28 de junho de 2011

Da série 'Pensamentos toscos e insuportáveis': Confusão de sentimentos.

Olha eu aqui de novo em um daqueles momentos em que ta tudo desmoronando e eu vou escrever um post sem saber como falar... E vocês, já sabem como isso acaba :P Falo falo falo e não digo nada. É.

No post passado eu disse que tava me apegando demais a ele. Que eu não queria isso pra mim de novo... Hoje, eu vim dizer exatamente o contrário.
Eu não sei, talvez seja só hoje, mas eu to sentindo como se um abismo existisse entre nós.
Na verdade eu não consigo sentir nada. Eu não quero falar com ele. Eu sinto como se ele não se importasse eu vivo sentindo isso --'  Mas é que agora, eu queria me afastar. Eu já disse pra umas 20 pessoas que não vou chama-lo, que não vou deixa-lo descobrir como eu me sinto, que não vai fazer diferença se ele for embora.
Mas no final de tudo... Como eu vou sobreviver sem ele? Eu não sei. Eu acho que eu não vou. Eu acho que eu não quero. Mentira. Eu tenho certeza, eu não quero que ele vá.
Mas dessa vez, eu gostaria que ele viesse.
Ele me disse uma vez que se importava, mas que não ia ficar falando isso de minuto em minuto. E eu entendo ele, mas as vezes como ele costuma dizer isso se torna necessário.
-Viu povs, essa é a parte em que eu choro e me perco \o/-
Eu quero falar com ele. Eu quero escutar que ele se importa. Eu não quero que ele se afaste. Eu não quero que esse abismo cresça.
Mas eu não posso fazer tudo sozinha man!
Eu sinceramente acho que ele acha que eu 'cobro' demais dele. Que ele tem que ficar sendo diferente comigo, mas... Ele é diferente pra mim. Talvez ele não entenda. Talvez ninguém entenda. Mas um "oi" dele, sempre vai ser diferente de um "oi" de qualquer outra pessoa.
-MAN, COMO EU VIM PARAR AQUI? O.O-
Voltando ao assunto. Eu to muito confusa. Talvez eu deva chegar pra ele e contar tudo o que eu sinto, ao invez de vir aqui, mas acredite: nos últimos dias [lê-se, desde que eu fiz o post passado] eu não tenho mais coragem. Eu tenho vergonha. Eu tenho medo. Sim, mais uma vez.
Ele odeia drama. E ele sempre acha que é isso. E sim, a maioria das vezes, eu tenho medo de me abrir, ele dizer que to fazendo drama de novo e brigar comigo. Eu tenho medo de perder ele.
Bem, de qualquer modo. Eu tenho que falar com ele. Ele tem que saber como eu me sinto.
Prometo fazer isso ainda essa semana |:
De qualquer forma, boa noite.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Unico refúgio. (ou não)

Vim aqui por que não tenho com quem desabafar... Bem, na verdade não tenho alguém com quem eu me sinta bem pra falar sobre isso então vim aqui falar pro nada... pq acredito que poucos lêem meu blog.
A verdade é que eu não sei o que eu to sentindo exatamente. Já to chorando. Eu sinto como se tivesse me apegando a ele de novo. Não, nunca deixei de gostar dele, mas até a dias atrás, não era como é hoje. É como se tudo o que eu passei no começo da nossa amizade, estivesse voltando. O sentimento de solidão quando ele não está on, a vontade de chorar toda vez que eu vejo uma imagem de um casal, aquela maldita angustia de não saber se ele tem alguém, e a mágoa de saber que se existir alguém, eu não tenho nada a ver com isso. Alias, eu não tenho a ver com nada. E eu já tinha me acostumado com isso... Mas agora.... *suspira* Agora a dor voltou a martelar. A machucar.
Eu prometo que não sei o que houve, e também que se eu soubesse como, eu faria parar.
Mas eu estou de mãos atadas. E a cada dia fica pior. Só que eu tenho medo!
Ninguém sabe o quanto! Eu tenho medo de perder ele. Dele mais uma vez achar que é melhor se afastar. Então eu mantenho tudo guardado. Sufocado. Mas só por hoje não quero ficar calada... Eu venho tentando esconder isso de todos, a semana inteira, mas tudo tem um limite. O meu, é aqui.

A verdade é que tem sim, gente passando por coisas piores e maiores que as minhas... Mas essas pequenas coisas que tem aqui comigo, estão me destruindo. E eu não aguento mais isso!

Enfim, nem sei pq vim aqui direito. Muito menos se isso tudo faz sentido, mas who cares?! Não to bem.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Futura realidade (yyynnnnnnn) U_U

Você estava aqui. Você realmente estava aqui. Comigo. No meu quarto. Gargalhando.
Você estava sentada em um colchão no meu quarto, nós estávamos rindo de algo, eu estava na cama, segurando meu diário. Lendo-o pra você; Como se tivesse algo de útil nele Nós estávamos discutindo sobre alguém... Eu falei aquele "NÃÃÃÃO ;OOOO" que eu gosto. Aquele que quer dizer "Jura?! Não acredito que você acha isso!" e você ria, falando que eu era tosca por achar isso dele seja lá quem ele for G_G
Você subiu na minha cama e então começamos uma super disputa pelo meu diário, até que você tirou-o da minha mão, eu cai da cama no colchão no chão e você ficou sobre ela, lendo. Você gargalhava, falando que não acreditava que eu tinha mesmo escrito aquilo. Eu deitei e você veio ficar do meu lado. Não sei o que, nem como você fez, mas você conseguiu encher seu cabelo de poeira. e eu acho que a gente tava muito retardada e.e Sem motivo algum, eu fui tentar tirar aquilo do seu cabelo, você só me olhou e nós caímos na risada outra vez. Eu rolei pro lado, bati minha cabeça na cama e isso te fez rir mais ainda... Você 'roncou' e nós não conseguíamos parar de rir.

E então, cedo demais, eu acordei. 

terça-feira, 21 de junho de 2011

Minha irmã mais velha. ♥


Eu sei que a foto não lá a mais bonita, mas é só pra não te deixar esquecer, de que você é tudo pra mim.

Eu amo você Bi!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

.

As vezes eu simplesmente queria ter um Rose. Alguém que pudesse saber como eu estou me sentindo, sem que eu precisasse dizer uma palavra. 


As vezes eu queria uma melhor amiga do meu lado. 

"A culpa é minha! Minha e das minhas expectativas. Minha e das minhas lamentáveis escolhas. Minha e do meu coração lerdo..."

Fernanda Mello

sexta-feira, 17 de junho de 2011

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Um melhor amigo, vale mais do que dez amigas. 

Pena que eu não tenho um.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

#FikDiK


'Existem momentos na vida em que é necessário excluir pessoas, apagar lembranças, jogar fora o que machuca, abandonar o que nos faz mal, se libertar de coisas que nos prendem, olhar para frente e enxergar a imensidão de caminhos ao nosso redor, ao invés de insistir sempre no mesmo erro e na mesma dor. Aprenda a gostar de você, a cuidar de você e principalmente a gostar de quem gosta de você! Não desista jamais e saiba valorizar quem te ama, esses sim merecem o seu respeito. Quanto ao resto, bom... Ninguém nunca precisou de restos para ser feliz. Cuide apenas daquilo que for verdadeiro... O que não for, deixe passar.'

segunda-feira, 13 de junho de 2011

sábado, 4 de junho de 2011

sexta-feira, 3 de junho de 2011